quinta-feira, 19 de abril de 2007

... ir lá rapidinho ...



Aparecer assim, sem família e sem amigos...só pensamentos e algumas lembranças: as necessárias para ir fundo, intensamente.


Ir chegando devagar. Um encontro ali, outro mais adiante. Observar todos os movimentos. E ter a certeza de querer aquela cor vermelha com amor.


O som que entraria pelos ouvidos atentos a tudo que, de novo ou de"velho", se estreiasse. A fim daquela emoção pura mas, nada ingênua. Aqueles sorrisos, aqueles rostos. Muita gargalhada, tudo uma grande curtição, uma brincadeira de vida.


E um brinde!!


Muitos outros depois. Copos, taças, mãos, bocas, beijos.

Corpos colados, sem muito romantismo. Mas, com uma adoração que satisfaz.


E ali no meio, trapaças e risadas. Amizade e amor. E mais brindes, e mais pernas. Uma luz diferente, com um brilho que se une aos dos olhos de cada um e sobe, vai pro cabelo, vai pro teto, vai pra torre, vai pro céu. O céu de uma noite numa cidade calada. Nem todos dormem, mas todos se prendem a voz e, se abrem a cabeça pras maiores curiosidades e desejos de participar também. Sem medo e sem culpa.


E a lua brilha a janela, a rua, o cartaz e lá dentro brilha a alegria e a vida viva de grande movimentos e grandes cores vermelhas.

2 comentários:

Larissa Santi disse...

só tenho duas coisas a dizer: ARDENTE SENSUAL
kkkkkkkkkkkkkkkkk
kkkkkkkkkkkkkkkk

muito bomm...

juventude revolucao disse...

rsrsrsr...:)interessante!!!!!!!