quarta-feira, 2 de abril de 2008


.
Vermelha.
A bochecha. O ar. Tá quente.

Se indispôs com a disposição de só sentir pelo momento. Num momento, a sacola que traz com ela o desapontamento e a devolução. Num outro a espera.
Um muito rápido dá pra mostrar quem é e porque tanta atenção.

Impaciência com o eletrodoméstico e a doméstica, dona da casa. Da casa que ela não sai. Da casa onde ela acredita que está no centro do mundo. Vê o mundo pelos paus amarelos...impaciência.
Num momento, a multidão nas rodas.
E num outro muito próximo as rodas na amplidão.
Céu azul. Água azul. Ansiedade.
A viagem deve ser para agradar, mas volta agradável e com a sacola cheia de pimenta. Desejando que lhe peçam lembranças.

8 comentários:

Larissa Santiago disse...

lembranças, binhaa!

PatSodré disse...

Passei o dia me vendo em vermelho, talvez ainda vestida de paixão!

Muitas informações, muita gente, coisa, muita, muita!

Tô no meio!

Seria isso...sintonia??

The Immature Girl disse...

hum... situações de ficar vermelha eu sou campeã, hehehehe...

Si disse...

Sem comentários. Muito lindo!!!

OgrO disse...

DEMAIS!

Como sempre! ;)

Zé Diego disse...

essa sacola...

Shakadal disse...

SECURITY CENTER: See Please Here

Amèlie disse...

E não é que eu vivo te vendo por aí? Vim conhecer su casa. Gostei. Voltarei mais vezes.

A propósito, apareça pra um chá!!!

Beijos.