quarta-feira, 21 de maio de 2008

Do vento que abre a janela na expectativa de encontrar o sono da manhã, feliz e branco. Sem surpresa. Um rosto maltratado de cansaço e reflexos. O encontro devagar, poucas mexas que se soltam. Luta para não fechar os olhos e se mantem firme na busca de mais.
Os lençóis intactos na cama, o café sem doce no chão. Não ouve música, não lê poesias, nem aprecia quadros. Gosta de letras que cortam e corta tudo que pode vim a gostar mais. A dor, sua unica companhia, a unica que aguenta.
Foge da luz, e da cor vermelha. E se sente a mais consciente desse mundo. Dá presentes usados, e nunca usa o que ganha. Guarda brincos bonitos e sai de casa com a orelha vazia.
Mãos cheias sempre. Do que não se vê, nem se sente.

Certos dias chora, em frente àquela que criou. E logo após o choro dorme, por dias, meses.
Nos dias de seu sono triste e calado. O vento percorre o quarto devagar, apresentando a cada canto, um pouco do mundo. E bagunça os lencóis da cama. E derrama a tinta vermelha no tapete frio. Senta perto e ouve os segredos calados de cada respiração profunda e se enche.
Se anima, roda no quarto, pula, canta, dança...e sai pela janela espalhando. esparramando. aumentando. Leva sempre um pedaço da cortina e deixa sempre uma pedrinha de açucar no café.

8 comentários:

Larissa Santiago disse...

e a alegria chegando depois de uma noite depressiva... eu só queria morrer!

Isa Dora disse...

Eita noite difícil...

Pat disse...

Essas noites vão e voltam, e quando elas não vem vai-se atrás.
É uma guerra de ser e não estar.

Um eterno não lugar!

É a loucura da vida real.

sarah k disse...

Amei o final ... a gente fica sem saber se é o vento ou a narradora que faz todas aquelas estripulias, rs.

;-)
bjs

Rodrigo Carreiro disse...

Ai ó... Me pegou num dia bom.
E me lembrei bastante desse filme:
http://www.adorocinema.com.br/filmes/brilho-eterno/brilho-eterno.asp

Sandoz disse...

Celine é a Clarice contemporânea!
é esta sua Macabéia?
Voltei pra casa no endereço antigo...Não se pode fingir por muito tempo ser o que não se é.
:D
SAUDADESSSSSSSSSSSS!!!!

RIC@RDO disse...

Incrível!
Um dia ainda aprendo a escrever assim. :P
Bjão guria

PatSodré disse...

E outra vc, já o homenagiou aqui!