quarta-feira, 4 de junho de 2008

Posso chorar ali, no ultimo degrau da escada?
Posso aceitar ajuda, e pedir conforto?

Eu preciso pensar menos, mas pensar exatamente no que devo fazer.
Águas pretas que ardem, nenhum sinal de escuridão e luz. Nenhum quadro vermelho.
Tem mais alguém aqui.

Eu já não quero estar só, mas preciso.
Vou andar de pernas no céu e esperar que toda a cidade se vire como eu.
E quando chegar no rio que devo entrar, deixar meus sapatos nas nuvens. Pois nelas eu pretendo mais uma vez me abrigar e quero me sentir de novo num lugar seguro

11 comentários:

RodOgrO disse...

Tem alguma coisa no que você escreve que sempre toca fundo na minha alma. É estranho, porque nem sempre os textos têm a ver comigo ou com o momento que estou passando... mas uma coisa é certeza, é a marca de uma grande escritora, Mô. Tomara que você se disponha a escrever um livro. Eu compro.

Si disse...

Flor, estou dando um tempo do blog. Sem prazo determinado.

Beijos.

Sunflower disse...

a gente le isso e faz ahhhh de bonito que é.

Larissa Santiago disse...

engole o choro!
bora, bora!!!
repira fundo e dá um tchauzinho de miss ;)

sarah k disse...

Que maravilha .... eu adoro este tom fantasioso ... adoro nuvens, gosto de me imaginar andando ou rolando sobre elas.
Lindo!

;-)
bjs

Daniela disse...

Que lindo Cléo !
Tem magia e tristeza junto !!!
Qual sera o desfecho, um outro par de sapatos te esperando na nuvem ??

jorginho da hora disse...

deixar meus sapatos nas nuvens... Essa foi de mestre. Alguem aí falou que há uma certa tristeza no seu texto. Engraçado, em nehhum momento eu percebi essa tristeza, Não sei porque.

Rodrigo Carreiro disse...

É realmente bonito... Muito bonito.

PatSodré disse...

Vc não está mais sozinha e deve sentir isso.

Agora deve estar mexendo aí dentro e vai ser cada mais nítido que estamos juntas!

A Outra disse...

não chore mais.
eu voltei!

desça das nuvens ou não. fique como está e quer... mas, nada de choro. não deixo.

beijos!!!

Isa Mozzer disse...

Eu já não quero estar só, mas preciso.



Q nem eu, q nem eu...