terça-feira, 8 de julho de 2008


Quando o sol cansado de mais um bom dia vai se deitando e se escondendo de nós. Deixando-nos aos poucos perdidos na imensidão de um céu colorido e fascinante em beleza e mistério. Enquanto procuramos um sinal de luz que nos conforte e nos faça sentir seguros. O tempo é infinito nos pensamentos de incerteza. Num misto de alegria e medo. Medo de gente, de bicho, de vento, de alma. Medo do dia seguinte com o sol esquentando.

Perguntas sem respostas e sem futuro invadem todo o corpo e é preciso se sentir à vontade com o mundo. O desejo de aconchego e de satisfação. Na hora perdida do dia, o momento que não pertence à nós. O momento mágico de internalizar das cores do céu sentido para a vida. E sem tempo de temer o próximo pôr-do-sol. Antes que todos os brilhos de estrelas invadam o céu escuro. É preciso pressa. Estar em casa.


Para Eliana =)

5 comentários:

Rodrigo Carreiro disse...

que belo texto para um fim de dia

Larissa Santiago disse...

ehh lindezaa!!
e o medo continua né binha?
bjosss

sarah k disse...

ah, todo dia o dia morre prá nascer de novo, feliz (sol brilhando) ou meio tristinho (cinzento, como hoje).

eu amo as cores de aquerela de um por de sol... ahhhh

beijos menina!
;-)
aqui tudo bem!

Pat disse...

Uma homenagem!

Mwho disse...

Medo e emoção
Perguntas sem resposta
Desejos
Sentido
Vida!
Legal...