segunda-feira, 4 de agosto de 2008


Passos precisos, olhos distraídos, volume alto nos ouvidos, mãos nervosas. De um lado, o calor de idéias vivas se multiplicando. As torres que crescem em busca de um deus. E toda cor de muitas misturas. Do outro o balanço de um ciclo que não pára, nem passa. Um copo cheio sempre no mesmo lugar, com as mesmas possibilidades. As ideias que fervem e o mar em um encontro que se dá no meu corpo em passos lentos. Meu corpo devagar sobre um chão de mesmas coisas. Vários corpos de todo jeito passando por mim. Uma alma perdida entre águas e luz. No fim da caminhada, sem cansaço de cores novas. No céu, o desenho de grandes mãos e no chão o afago em todas as cabeças.

Não dá pra ficar só sentindo. "Meio sei lá" não leva ninguém a nada.


6 comentários:

RodOgrO disse...

Muito verdade! Meio sei lá não leva a nada... adorei essa! Ou é ou não é; ou vai ou racha; não tem essa de ficar no muro, né?

Belíssimo texto, como sempre... Para de demorar tanto para escrever, hein??? ;) heheheh

Eu tô bem, e vc? Deu uma sumida! Não sei se o que você escreve é sobre você mesma, só sei que é bonito e poderoso. Muito bom!

Ice Ice Baby disse...

thanks pela visita Celine!

ah, e quanto ao seu comment...é q eu sou sempre assim, modesta e humilde!
:-)

bjs chuchu
volte sempre!

Mwho disse...

O processo, mesmo que sem cores novas, vale a pena... Fervura nas idéias!

Beta disse...

Ando me sentindo "meio sei lá"...ás vezes é dificil não se sentir assim...

PS: eu conheço o dc SIM da Vanessa (da Mata)...é ótimo...escuto todos os dias e não consigo enjoar...
Beijão!

Rodrigo Carreiro disse...

Foi mal, mas... que gato assustador eheheh

Larissa Santiago disse...

se joga q nem ele binhaaa

bjuuu!!