segunda-feira, 22 de setembro de 2008


No meio do dia. Embaixo do sol que faz a terra umidecer de suor.
Foi lá que vi parar de subito todos que por ali estavam buscando viver.
Um parto.

Ninguém viu a mãe. Umas pernas dobradas. Uma força que enfraqueceu a todos. Uma longa espera por alguem que sabe amar. Uma boa vinda. O filho cantava numa altura. E todos se sentiram aquecidos.
Eu fiz o parto. E calado estava quem fez a vida.

Sinto a dor até agora. E já não durmo como antes. Se antes já nao dormia como se dorme.
Agora me perco entre anos que não sei se estão vindo. Me perco entre fome que nao sei alimentar.

Agora já nao me sinto mãe. E preciso todo dia ir buscar o menino.

17 comentários:

Isa Dora disse...

eu acho que a cada dia tu escreve melhor. tira lá do fundo de ti... e coloca as palavras de forma tão simples e tão encantadora...

beijos, guria.

de RR, por Carlos disse...

vc é especial... te amo

Rodrigo Carreiro disse...

clamor de vida!

minicontosperversos disse...

escreve bem, lindinha. e sabe disso. e tem pergunta indecente pra você lá no MCP

viva o justinho cor-de-rosa!!

sarah k disse...

achei tão forte.
eu que já tive duas filhas sei dessa dor...
e quem vê, o que sente?

bjs linda!
:)

A Outra disse...

presente?? hehehehhehe

que bom!!!

bjsss

Pat Sodré disse...

Man
onde se corta esse cordão umbilical?

Terapia urgente!!

Saudades boa sempre!

avessodoavesso disse...

mainha?
rs

bjocas
>>

Franklin Marques disse...

muito forte! Visceral!
Mas extremamente significativo.
Beijos!

Larissa Santiago disse...

eita espírito maternal!
eu vô ser a ciumenta, não eh mesmo pessoal????

Matthew Salbego disse...

Ooi!Tem um selo p ti lá no meu blog tá?

beejO!

Mr. Almost disse...

Acho o quê?...

Acho que você merece um beijo!

(Ai, eu hoje tão de beijinhos...)

Ricardo Dib disse...

Lindo e melancólico.
Adorei!

edelzuite disse...

"Uma longa espera por alguém que sabe amar" Sempre só se fala q é mãe q sabe amar, amor de mãe, etc, etc. Aí agora eu gostei, filho também sabe amar tanto qto uma mãe.
Oh, meu BB, n se dorme mesmo mais como antes, e isso tudo é mesmo ser mãe, as dúvidas, as incertezas.
É preciso muita inspiração pra escrever isso q vc escreveu. Mto forte, muito poético, mas muito real.

edelzuite disse...

Essa sensibilidade em se sentir no sentimento do outro, está no seu âmago, e isso torna o escrito bem mais prendedor de quem o está lendo. Não sou crítica literária, mas sou amante da literatura e qdo termino a leitura dos seus escritos eu quero mais. Eles deixam umas reticências e uma vontade de ver onde vai continuar.

edelzuite disse...

Essa mãe, esse parto, esse filho, é uma escritora nascendo, uhuhuhuhuhuh

carteirodopoente disse...

essa foto lembra o meu berço
a marca dele na parede
a minha pátria_mãe..
tadeu
beijos
celine