quinta-feira, 20 de agosto de 2009


Andando pelas ruas de pedra viu seu papel. Lembrou que havia deixado-o na janela. Queria que ele decidisse o que faria de agora em diante com o peso do pensamento tatuado em si.
Pensou mais um pouco e concordou com a ideia antiga de que o bom era deixar seu pensamento livre. O pensamento como um filho. Uma cria que se deixa ir. Nunca crer na possibildade de que seu pensamento a comanda. A serva de várias coisas des e organizadas.

Alimentar a mente, trilhar caminhos com ela é o processo de se doar para outra vida.
É amplo e pensa.

Pega o papel, amassa uma das pontas. Continua caminhando pela rua. Percebe que o dia ficou mais claro. É a dona de seus pensamentos.


Essa imagem é daqui

15 comentários:

K. (Incompletudes) disse...

quem me dera tanta clareza!

meus papéis, por ora, estão todos amassados, embrulhando meus pensamentos. :)


ô dona Mozinha, chamou, eu vim... cadê o café e o bolo de fubá, hã?


sou uma visita exigente! rs rs rs (ou gulosa, se preferir)


beijos, saudades de vc

jorginho da hora disse...

Ser dono de si é muito bom da conta.

Mil beijos!

rm disse...

Ei baianinha,
às voltas com as voltas da atividade criativa?

Convidei lá, convido aqui e, se necessário, também por mail...

PatSodré disse...

Venho pensando que deveria pensar menos na articulação do que penso/sinto.
E isso é dificil. Mas é essencial para uma vida mais gostosa, mais tranquilo como era há tempos atrás.
Tô correndo atrás do papel que deixei voar.

N. disse...

e aí o vento passa...

Anônimo disse...

Agora com pura e intensa, subjetividade, ela pensa e repensa tais conceitos antigos, tais ideias antigas. Onde as palavras dizem ainda mais do que podem "só" dizer... é natural, pensa. Concordar e perceber tais ideias antigas, e nunca acreditar que poderia então, ser comandada por tais pensamentos. Aos teus olhos sua percepção mais apurada de tudo ao teu redor. (Ela pode abraçar o mundo... mas pode também odiá-lo)

Pretensão de deixar tudo agir por si só.
Sem domínios, através da razão, suas próprias escolhas.

A ela podemos ler " Ela quer outra vez um quarto todo branco e um par de asas, e quer outra vez e outra vez... e terá."

(...)

Anônimo disse...

"...A Flor que vem me lembrar
/ A Flor que é quase igual /
A Flor que muito pensa /
A Flor que fecha o Sol..."
(MARIA GADÚ)

Larissa Santiago disse...

e dos passoss...
cuidados!

Ric Dexter disse...

Mui bien, serva de várias coisas des e organizadas!
Beijos!

rm disse...

Ei baianinha,
eu que agradeço a disponibilidade, a simpatia e o texto, que bombou, viu? rss

george araújo disse...

ela voltou!
os textos continuam os mesmos, mas o layout... hahaha

pensamentos tem donos?
(pra reflexão)



bjuX
>>

Principe Encantado disse...

Gostei muito do conteúdo de seu blog, você esta de parabéns.Gostaria de saber
se existe interesse em torcar nossos links, se sim deixe seu recado em meu mural.
Te espero por lá, ok?
Felicidade! É inútil buscá-la em qualquer outro lugar que não seja
no calor das relações humanas... Só um bom amigo pode levar-nos pela mão e nos libertar.
Abraços forte

didigirl disse...

Saudade totosa!
Passando pra deixar ume bitoca.
Voltei.

Franklin Marques disse...

adorei esse!!! O pensamento como um filho, que devemos educar para ser livro no mundo... GOSTEI, GOSTEI!

Sarah K disse...

Você cada dia melhor ... essa idéia de deixar um pedaço de nós trilhando perdido, nos divulgando aí pelas ruas é uma idéia massa!!

bjos
;-)