quinta-feira, 1 de julho de 2010

Baú.


Sentou na ponta do tijolo vermelho e sentiu vontade de correr. Ofegante de tanto ter corrido. Depois desejou uma mão estendida e apoiou os braços para trás. Saiu do baú um imenso livro de historias. E todos ouviram.
No fim já era tarde e quis levantar sozinho. Andou devagar achando que estava correndo. E admirou suas mãos como se elas tivessem feito o baú e as historias. Chegou e dormiu a noite toda. Sonhou que era estrada. Com marcas de pisadas em todo corpo. Acordou historia de bau. Com o caminho dos outros.

8 comentários:

Ite Ramos disse...

Fantástico!!!
"Acordou história de baú" Mto lindo!! Todos nós, a cada dia, nos tornamos um capítulo de história de baú. E com pisadas dos outros em nosso corpo, mas tb deixando no corpo dos outros nossas pisadas q formarão suas histórias de baú.
Bjos, minha escritora!

Eve disse...

Mas, antes, fez sua própria história.

bjs, flor.

Franklin Marques disse...

eu lembrei da metamorfose, sabe, ir transmutando em algo, em muitos caminhos, marcas, destinos...
saí do baú, saí do cazulo, enfrentar a vida e pela impossibilidade de ser, ser história de baú!

Francine Ramos disse...

Parece um sonho, dentro de um sonho, num baú de sonhos, com outros sonhos. Leve como uma pluma. Belas palavras colocadas. ;)

Beijos, flor!

Larissa Santiago disse...

ou usar os caminhos alheios e fazer os seus.

beijos

Patty Diphusa disse...

Adoro..e ainda espero pelo livro. bjs

ana f. disse...

às vezes me dá vontade de imprimir seus textos e espalhá-los pelo mundo

Estelar disse...

Que textinho lindo! A imagem é muito legal também, me lembra um balão vermelho!

Bjs

;^)