quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

eu digo.

.como não fazer, se ela me pede como quem não faz questão?
eu cheia de questão na cabeça, do tipo que vai e volta trazendo mais calma do que.
.como parar pra pensar no que é sentimento, se tudo que caminha aqui é fruto do que ela vela. 
tão sensível quanto um sorriso frouxo.  meu sorriso solto gritando aos saltos. 
.quase de assalto fui levada numa noite de sei lá o que. e só pude dizer sim.

.como não, se ela vem em mim como quem não quer nada, e me rapta um beijo além de qualquer outra ideia que tem aqui?

4 comentários:

daniayres disse...

E ainda bem que voce disse sim! S2

Kinha disse...

tem coisas que são assim...

Manu disse...

obrigada, Celi. :D
Também gosto muito do que você escreve. Desperta meu lado mais sensível.

ana f. disse...

deu pra batucar