segunda-feira, 7 de julho de 2014

Trovão

Amanheci com um raio na minha caixa de entrada. Fiquei na porta. Não me coube. Emails aos montes, qualquer coisa que não é minha ainda. Suas pegadas, minhas palavras derrubadas. Caiu seu raio na minha caixa e eu fiquei aflita, relampejada. Clarão.  Por um segundo, eu vi seu traço. Dava um caminho. Passei um dia de trovoada. Calada. Deixando me molhar. 

Tanto barulho não dá em nada. 

Nenhum comentário: