sábado, 26 de setembro de 2015

/

Odeio. E é pelo simples fato de não se importar.
Não consegue considerar os lados. 

Odeio. E é mais por amar do que qualquer coisa. 
Como seguir depois desse ponto? Final.

Odeio. Cada vez que sinto saudade. 
Conheço a covarde. Ela sou eu. 

Não sei dar fim. Estou entregue. 
Você me lê. Não se enxerga.